Pipocando: Krampus — O Terror do Natal (2015)

29 de dezembro de 2016

Filme Krampus o terror do Natal comédia de terror natalino
Reprodução: Google
Na na na na na na naughty christmas! 

Olár humanos, antes tudo quero anunciar que contém SPOILERS nesse post, leiam por conta própria, não me responsabilizo por possíveis danos. E no post de hoje eu venho enaltecer o Natal em pleno dia 29 de dezembro, indicando mais um filminho natalino com aquele toque negro que só o blog Disse o Corvo tem. Quero deixar registrado aqui que 2016 conseguiu superar 2015, foi o pior que vivi desde que me entendo por gente. Esse ano eu não realizei nada do que listei na minha agenda e nunca na minha vidinha monótona isso havia acontecido. Única coisa positiva nesse ano foi minha aceitação com meu corpo, de resto foi uma imensa porcaria. Mas chega de reclamar de 2016 porque ainda tem chão para caminhar, vamos ao que interessa.
Já que o blog não está mais em hiatus e esse é o segundo ano que consigo chegar em Dezembro com ele a todo vapor, então pretendo sempre trazer um filme em comemoração ao Natal com aquela pegada trevosa que amamos. Claro que para cada filme colorido e saltitante, tem um do mesmo jeito mas em tons escuros & estranho porque eu amo quando tem estranhezas. . Ano passado eu indiquei um dos filmes que é LEI eu assistir sempre dia 25 de dezembro, o Imaginaerum — www — da minha bandinha linda do coração Nightwish para fugir da mesmice porque né, já que todo mundo recorre ao The Nightmare Before Christmas ou The Grinch — eu mesma recorro a eles direto — quando chega a época, eu quis mostrar para vocês que comigo aqui o negócio era outro até na Christmas Season. But vamos logo ao filme.

Sinopse do Filmow: "Uma família se prepara para as festas de Natal, mas o pequeno Max não está contente de ver seus familiares brigando o tempo inteiro. Irritado, ele acaba despertando uma força maligna chamada Krampus, que nada mais é do que a sombra do Papai Noel. Este monstro ataca principalmente pessoas que não acreditam no Natal, e coloca em risco Max e toda a sua família".

UTILIDADE PÚBLICA: QUEM É KRAMPUS?


Krampus, lenda originada na raiz do folclore germânico, é o espírito maligno oculto no Natal. Como bem sabemos, é o oposto de Santa Claus aka Papai Noel. Enquanto Noel vem para presentear os bonzinhos no qual se comportaram o ano todo, Krampus vem para levar os capeta danados que só aprontaram dentro de um saco para onde? O Inferno. Cês acharam que iam para onde? Por favor né.
Segundo a lenda, essa criatura bestial — com chifres de bode, cascos de fauno e aspecto meio humano, meio criatura selvagem — dá as caras por volta do anoitecer de 5 de dezembro e então fica perambulando por duas fodendo semanas nas ruas onde as crianças bagunceiras moram, arrastando pesadas correntes e tocando seus diversos sinos no intuito de assustá-las antes de raptá-las. Por isso que na música Naughty Christmas, do Lacuna Coil, Scabbia diz "que barulho é esse no jardim?" e "que barulho é esse na minha porta", se por acaso vocês estiverem dormindo e escutarem algo de arrastando pelo chão corre que não são os 3 espírito do Natal que nem em A Christmas Carol do Dickens, é o Tinhoso Natalino.
Em alguns lugares desse mundão de Odin, é comum as pessoas montares fantasias para comemorar o Krampusnatch — na verdade ocorre mais na Áustria — onde as mais elaboradas chegam a ganhar o equivalente a 2 mil golpes reais, sendo estas muitas vezes, compostas por chifres de bode de verdade e uma vestimenta toda trabalhada a mão. E vocês aí achando que levavam a sério o lance de Natal. Quando as crianças escutam o nome Krampus, elas automaticamente se comportam só para verem o velho Noel na noite de Natal, quem diria que a época mais fofinha do ano teria seu Lado Escuro da Força, né? Vocês só me verão empolgada assim novamente só quando chegar a melhor parte do ano, que é a All Hallows' Eve. Por isso que nós, amigos da noite, amamos tanto The Nightmare Before Christmas que é a junção do Halloween com o Natal que deu mega certo, obrigada Mestre Tim Burton. Enfim...


"Mas Priscila, você não sabe ser uma pessoa normal e indicar filmes lindos para essa época tão colorida e brilhante do ano?" Na verdade sei sim, tenho uma lista imensa de filmes natalinos em todos os gêneros mas fugiria literalmente do foco do blog por isso que o filme natalino escolhido foi o KRAMPUS — O TERROR DO NATAL (2015), e assistam sem medo algum que ele é bem levinho e rende mais risada do que susto, inclusive nem susto tem. Não é tedioso e prende a atenção do começo ao fim com uma responsa muito bem bolada. Agora me respondam uma coisa:

Quando vocês pensam em Natal, qual a primeira coisa que vem na mente?

Na minha é comida. Sem sombras de dúvida e sem gaguejar é comida. A mesa de casa fica repleta de coisa gostosa, de Nutella, de Chester com aquele molho que só meu pai sabe fazer porque nos Sawa quem cozinha é ele, de chocotone recheadão da Bauducco, ouceje, de tudo. Mas para vocês pode ser passar a noite com aquele churrasquinho maroto com o pessoal enquanto soltam rojão na casa do vizinho chato, tomando algo bem gelado porque ao contrário dos Estados Unidos, essa época do ano tende a ser MUITO QUENTE, dentro de casa vendo algum filme enquanto abrem os presentes (não ganhei nenhum esse ano, me aguardem que vai ter vingança), ou sei lá, amarrados numa cadeira que nem Dean e Sam Winchester esperando para serem torturados em prol do Natal. Nevermind, só sei que esse palavrinha tem significados diferentes para cada um e é isso que faz Krampus entrar para a lista de filmes natalinos com uma lição de moral  para nos passar.


Krampus, para mim, de terror não tem nada até porque como estou calejada no gênero creio que nada me surpreenda mais. Porém vai de cada um, minha mãe mesmo ficou com medo de andar em casa na véspera de Natal, hehehe. Deixem Esqueceram de Mim ou Um Natal Brilhante de lado, esse filme combina não só as lendas acerca do espírito do mal natalino mas também cria todo um clima de tensão por sabermos que nem tudo é as mil maravilhas, nem tudo é como planejamos, nem tudo é "Ho Ho Ho, O Natal Chegou!". Em Krampus temos: cenário propício as típicas vésperas de natais — não só as americanas até porque aqui no Brasil tem muito disso —, problemas familiares enrustidos, crenças, tradições, diálogos desenvoltos de modo descontraído pelos atores, muita neve, brincadeiras com medos infantis e um garotinho que quer fervorosamente acreditar na magia no Natal por muitos esquecidos.

Logo de início temos todo um cuidado especial com o espectador já que temos como entrada a música "IT'S BEGINNING LOOK A LOT LIKE CHRISTMAS", de Bing Crosby, que convenhamos, não tem nada mais cara de Natal do que esse hit, inclusive a trilha sonora de Krampus foi muito bem escolhida, chega dá gosto. E ela abre para a cena típica de pessoas entrando como loucas nas lojas para comprar presentes ou decorações exatamente como nós, brasileiros, de última hora. Como vai meio que em câmera lenta, observamos cada cena hilária que chega dá gosto de saber que essa época toda brilhante do ano chegou. Por isso que a música cai como uma luva. O objetivo dessa intro serve para nos lembrar do quão comercializada a data se tornou, muito triste isso.
Aí vai para cena onde o protagonista do filme, Max que está brigando com algum amigo em plena apresentação da peça sobre o nascimento de Cristo afinal Natal é, primeiramente nascimento de Jesus Cristo. Beleza. Então ele vai para casa, conversa com a avó Omi, faz carta para o Papai Noel, recebe os parentes nada queridos e tenta seguir com a noite suportando as provocações de todos aqueles estranhos que a muito perderam a esperança no Natal. Uma de suas primas, por maldade, lê a carta dele em voz alta e gera a famigerada discussão em família em plena noite de véspera, assim, do nada. E esse foi o ponto para que ele surtasse, rasgasse as provas de sua crença e como consequência, atraísse o espírito de Krampus mas podem tirar da mente que tudo o que acontece no filme é culpa do menino porque não é, com o desenrolar da trama vamos percebendo que todos tem suas contas a acertarem com a Sombra de Santa Claus, a Sombra do Papai Noel.

                         
                         
Esses bonequinhos, você irão achar eles violentamente fofinhos.

É aí que acontece a beleza toda do filme porque o ódio emitido por Max é atendido por Krampus e ele responde ao seu chamado quase que de imediato porque ao rasgar a carta, é meio que decretado que o espírito de Natal está oficialmente morto naquela casa. Tenso né? Então uma nevasca das bravas, daquele tipo que todo brasileiro sonha em dias infernais de calor, atinge toda a cidade cortando a força da residência dos Senhores Barracos Natalinos, ouceje, terão de ser forçados a se suportarem por um bom tempo. Só que a irmã de Max resolve ficar com fogo na raba e sai em busca do namorado. Ela some no trajeto, forçando seu pai e o marido de sua tia a unirem forças para procurá-la. Sem sucesso já que ela sumiu mesmo, o jeito foi conhecermos os monstros do filme já que tudo em Krampus ficou tenebrosamente lindo.
Os presentes criam vida, sim, tipo uma mistura de Pequenos Guerreiros com Chucky onde a tradição de abrí-los no dia 25, debaixo da árvore, é quebrada e eles começam a atacar. Cara, que beleza de cena. É tanta informação que tu respira fundo e tenta absorver ao máximo cada ataca em particular. Meu favorito foi os do Biscoitinhos aí em cima mas também foi a do Palhaço da Caixa de Manivela devorando uma das primas de Max tipo como uma sucuri. Inteirinho. E os bonecos de neve amontoados na frente da casa também são um show a parte porque não sei vocês, mas eu quando vejo um filme foco muito no cenário e no figurino — coisa que não economizaram para montar — mas mesmo assim, a família perturbada segue sem entender nada. Omi, a avó de Max, conta que o que está acontecendo é nada mais, nada menos, que Krampus, o espírito maligno é tido como uma espécie de algoz que pune quem é mau  no Natal. Como que ela sabe disso? Oras, porque aconteceu com Omi quando era uma menina, sua cidade foi literalmente arrastada para onde acredito ser o inferno e ela foi polpada por Anti-Noel como um lembrete sobre o que acontece quando nosso espírito de Natal é perdido, ou morre.

"Eu sabia que são Nicolau não viria naquele ano. Em vez disso, era um espírito, muito mais antigo e obscuro. A sombra de são Nicolau. Era o Krampus. E como tem feito por milhares de anos Krampus não veio presentear, veio punir. Não veio para dar, mas para tomar" — Omi

Sabe aquele espírito de vingança que guardamos sempre que presenciamos injustiças, afrontas, humilhações ou calúnias? Então, esse sentimento contido é algo muito perigoso e no filme ele é solto das maneiras mais estranhas que existem, brincando divertidamente com nossos valores e medo. Tem medo para todo mundo: tem palhaços de brinquedos que devoram pessoas, biscoitos de gengibre assassinos, bonecos de neve ameaçadores a la Jack Frost, duendes capatazes, ursinho nada carinhoso, besta selvagem invisível, nevascas violentas e até globos de neve. Não tem nada mais natalino que globos de neve. Tudo agora é sobre sobrevivência. Ninguém tem a minima ideia de o porque estar acontecendo isso mas Max, o danadinho, sabe muito bem que foi resultado de sua raiva. Então eles tentam sair juntos da casa mas vão sumindo um a um até restar apenas o menino e o Krampus, cara a cara, onde ele tenta barganhar a la Doctor Strange para que a Sombra de Noel soltasse sua família e o levasse. Trato não feito, por isso amo os vilões, mesmo com o capiroto do Natal enxugando as lágrimas de Max, o garoto é jogado no buraco e... Bom, vocês terão que assistir ao filme para saberem o que acontece com ele e seus familiares. No começo do filme confesso que fiquei um pouco vaga mas digo para vocês assistirem sem fazer isso porque o final dele é TOTALMENTE satisfatório. Chega dá gosto de ver.
Krampus não é apenas um filme de comédia de terror com belos efeitos visuais e cenários, é sobre união, sobre convivência, sobre gentileza. É sobre o valor que damos a nossa família, sobre a devida atenção que damos a cada um dos envolvidos e o respeito exigido antes que seja tarde demais para dizer um desculpa, um perdão ou um por favor. Com esse toque mitológico e pegada de fábula, Krampus consegue se destacar dos trocentos filmes natalinos aí justamente por passar mensagens como esta, afinal, perder o espírito natalino tira a graça da coisa toda né? Ele é profundo para quem sabe assistir porque dá para sentir o frio quando a nevasca ataca, sentir a tensão que os personagens sentem sem saberem que diabos tá acontecendo com o mundo e até se deliciar com a sensação de looping que dá com o final dele. Uma boa pedida para quem vai ficar com esse clima natalino até janeiro de 2017 assim como eu. Ah, infelizmente ele não tem na Netflix, mas vou deixar as opções online e para download em torrent abaixo.

ONLINE LEGENDADO www || TORRENT DUAL AUDIO 1080p www

Bom, Krampus — O Terror do Natal é um filme todo trabalhado no caos, na violência contida e  consegue ser extremamente divertido. Estava louca para falar dele com vocês mas não estava encontrando foco para finalizar o post, são tantas fotos que queria colocar aqui que tive testar diversas vezes o carregamento da página para ver se ficava lento. Como ficou muito lerdo, tive que tirar muita coisa, tô só nos choros sim ou claro? Hehehe. Mas enfim, editei essa postagem com muito amor e carinho para que vocês sitam toda minha animação e euforia em falar dele até porque né, quem não gosta dessa época coloridamente gostosa do ano hein? Mas me digam aí nos comentários: o que é ter espírito natalino, independente de religião, para vocês? Soltem o verbo, não se acanhem. Um beijo e um queijo. E feliz natal mega atrasado. ♥

Um comentário:

  1. Caraaaaaaaaca, que maneiro!
    Vc trata o terror de uam maneira muito bacana por aqui, porque sou mó cagona e aqui me senti bem em ler e visitar as outras postagens! Que sucesso!!

    Ainda não conhecia seu cantinho e já fiquei apaixonada! Olha 2017 já me presenteando com blogs maravilindos!

    Clica aqui se quiser ver minha ultima postagem |
    Clica aqui se quiser participar do sorteio do blog!

    ResponderExcluir

1. Espalhem amor, e não ofendam.
2. Digam ao Zane Holtz que eu tenho interesse.
3. Ler a postagem toda antes de comentar não mata ninguém e valoriza o trabalho de quem criou.
4. Deixem seus bróguinhos para eu visitar.
5. Aos spamzentos: vão fazer spam num tabuleiro Ouija, obrigada.
6. Assistam Black Sails. ♥